terça-feira, 11 de setembro de 2007

Há uns dois meses atrás, um amigo chorava por ter perdido a namorada.O choro, por vezes parecia exagero, não era possível que ele estivesse tão mal por ter a perdido.Eu não conseguia entender, o que o levava ao choro, ao quase desespero.Ele chorava porque não ia mais fazer parte do dia-a-dia dela, porque não ia mais estar junto, em todos os lugares.Ela não ia mais ligar, não ia mais se importar, ela ia preferir as amigas, os amigos, e ele?Ele era passado...
Eu não percebi.E que idiota eu fui.
Tempos depois eles voltaram.E fiquei feliz, ele ficou muito feliz, mas também não entendia porque tanta felicidade.
Eu não percebi.E que idiota eu fui.
Mas o mundo, a vida, as coisas, os sentimentos, vão, vem, mudam.
E agora eu é que me sinto perdido, sem saber que rumo tomar, porque eu não sou mais um inteiro, eu sou parte, e tem outra parte minha que falta, e que eu já não sei mais se vai voltar.
Hoje eu passei pelo banco da praça, lembrei da música, vi as fotos.E agradeci pelo menos por ter algo pra recordar.Chorei, lamentei, e senti dor ao lembrar das palavras.
Mas apesar da tristeza, da saudade, da incerteza, o sentimento que mais contamina é o de querer mudar, tentar, salvar o que ainda resta.
E é isso que eu farei.

Um comentário:

Bier disse...

Muito bem, Cristian!
Aquela alma humana de sempre! Estou muito satisfeito com o que venho lendo por aqui!