segunda-feira, 23 de julho de 2007


Eu estava sentado e olhava para meus pés.Desviei o olhar do meu pé esquerdo e vi uma pequena formiga,talvez a menor que eu já tenha visto.Ela andava rapidamente,mas sem rumo.Parecia procurar outra, ou algo para se orientar.Observei-a por mais alguns segundos e quando parei de prestar atenção no pequeno animal, vi outra formiga, a uns trinta centímetros da primeira.Pouco espaço pra mim, e um espaço imenso de distância entre as duas.A segunda formiguinha um pouco maior, parecia da mesma maneira perdida, procurando algo.Agora eu observava e torcia por um encontro,- talvez emocionante - entre duas formigas.Juntas poderiam procurar outras, ou pelo menos, morreriam juntas, o que não seria assim tão triste quanto morrer sozinha.Mas parecia que o encontro não se realizaria se uma força maior não entrasse em ação, eu comecei a cogitar a possibilidade de dar um "empurrãozinho" no rumo das formigas.Se eu assustasse uma em direção a outra, elas se encontrariam e eu teria feito minha boa ação do dia. Escolhi a maior, era ela que eu assustaria mudando seu caminho e fazendo ela chegar até a outra.Com o dedo indicador tentei empurra-lá; na primeira vez que encostei ela disparou desesperada e eu sem saber o que fazer, tentei fazer a pequena voltar, pois ela se afastava mais!No calor da hora acabei usando demasiada força e a esmaguei.Por um instante lamentei e pensei: além de deixar uma formiga perdida e sem esperança de um encontro com alguma companheira, matei um ser que nada tinha me feito.Tudo estraguei, por melhor que fosse minha intenção.

Se as coisas seguem um caminho, é melhor não querer mudar tudo assim a força.

Este blog continua sem ser atualizado, bom que se diga.

3 comentários:

Moskito disse...

Porra, muito bom esse texto.

Moskito disse...

ps: posso publicar esse texto no mas que loucura, com os devidos créditos?

tentei procurar um e-mail aí e não encontrei.

Bier disse...

É... tudo é preso às leis da natureza. Não podemos mudar isso.

Ótimo texto.