sábado, 10 de outubro de 2009

O meio do nada, com nada no meio.

Tenho notado na minha pessoa, nos últimos tempos, uma dentre várias incapacidades: a de não acabar nada, ou chegar só na metade das tarefas realizadas. Todas as coisas que eu faço, não ficam completas e por conseqüência, surge àquela sensação de... Frustração. Baseei-me em acontecimentos recentes pra chegar a esta relevante conclusão, eu não concluo nada. Começou com o curso de Publicidade e propaganda, prosseguiu com curso técnico inacabado e quando vi, estava eu fazendo isso em todas as coisas. Leiam:
Segunda-feira acordei na metade da noite e não consegui mais dormir, me revirei na cama até às 7 da manhã, quando levantei pra ir tomar banho. Ensaboei todo meu corpo, mas na hora de lavar o cabelo, desisti e sai do chuveiro. Peguei a toalha, sequei da cabeça até o quadril e depois disso desisti de tirar a água do corpo e pus a calça por cima da pele molhada. Peguei a escova de dente, pus metade da pasta que deveria e escovei só o lado esquerdo, depois desisti. Moro no quarto andar do prédio, por isso, decidi descer de elevador, mas na metade do caminho achei melhor parar e apertei o botão de emergência do aparelho. Fui do segundo andar ao térreo pelas escadas, e desisti de dar bom dia ao porteiro, antes de fazê-lo. Andei até metade do caminho para o trabalho e me bateu uma vontade de parar de andar, e ir de ônibus. Foi o que eu fiz, entrei no transporte público na metade do caminho e cheguei ao trabalho um bom tempo adiantado, pensei em ir trabalhar mais cedo, mas desisti - sabiamente – e entrei no escritório apenas no horário.
Ao meio-dia, decidi almoçar. Fui forte e de fato entrei em um restaurante. Enchi meu prato, mas na metade da refeição eu desisti e decidi ir embora. Quis pagar só a metade do almoço, como era de se esperar, mas o caixa me fez desistir dessa idéia mostrando o tamanho da sua mão e o impacto que ela causaria no meu rosto caso eu não pagasse tudo. Paguei sem desistir nem resistir.
Fui para o apartamento, e vi que tinha roupas sujas. Lavei todos os pés direitos das meias e quando iria começar a lavar os esquerdos desisti e achei que era hora de dormir. A semana se repetiu assim, entre decisões e desistências.
Na sexta-feira, decidi sair com os amigos e tomar só metade das cervejas que eu pretendia, seguido à lógica de acabar na metade todas as coisas. Desisti dessa idéia depois do primeiro gole e bebi o dobro, não a metade (vejam que há aqui uma variável). Flertei com metade das gurias da festa, mas desisti de trovar a metade, restando metade da metade para provarem de meus disparates amorosos. Uma delas gostou da conversa, me deu até o número do telefone, mas quando ela decidiu me beijar eu desisti, e fui embora. Quis pagar a metade do dobro das cervejas que bebi, mas novamente o rapaz me fez desistir dessa idéia apontando pro Jaiminho, segurança do local. Paguei sem desistir nem resistir. No caminho para casa, fui até metade e desisti. Depois caminhei metade da metade até a nova desistência, caminhei três quartos antes de parar, e por fim cheguei ao prédio. Subi metade de escada, metade de elevador, totalizando duas horas para realizar o trajeto que uma pessoa normal faria em meia hora.
Disposto a dormir muito - pelo menos umas doze horas - dormi seis e desisti do resto. Resolvi fazer almoço e comi arroz ‘meio cru’ e carne ‘meio assada’. Tive então, a brilhante idéia de escrever uma mensagem para a guria da noite anterior: escrevi metade e enviei. Uma pena ela não ter me respondido nem 25 por cento...
Assim as coisas têm acontecido comigo. Acreditem se quiserem.
Mas voltando ao texto, agora que consegui concluir a primeira parte, vamos a segunda e mais interessante parte da história:

Acontece que eu estav...

4 comentários:

Vinícius Schneider disse...

as vezes só a metade tbm é bom. uasheauesa

Vinícius Schneider disse...

as vezes só a metade tbm é bom. uasheauesa

Ricardo Bertolucci Reginato disse...

Quiçá seja a abstinência familiar, meu caro amigo.

Marco H. Strauss disse...

Gostei disso, por isso só vai te meio comentário aqui, a parte que faço os elogios não aparecerão.
Muito...hasuhasuahs